26 de September de 2019

Cuide da sua saúde para evitar doenças e viver melhor

Médicos do programa Medicina de Família da FAPES ensinam hábitos que melhoram a qualidade de vida

Melhor prevenir do que remediar, diz o ditado. Por mais completo e eficiente que seu atendimento de saúde seja, o mais indicado é sempre se proteger contra as doenças e viver melhor. A boa notícia é que as principais causas das enfermidades mais comuns são evitáveis: tabagismo, má nutrição, falta de atividade física e excesso de álcool. 

Três médicos do programa Medicina de Família da FAPES orientam os beneficiários sobre essas mudanças de hábitos. “Atualmente, a maior ameaça à saúde das pessoas são as doenças crônicas não transmissíveis: câncer, doenças cardíacas, AVC, diabetes, obesidade e doenças neurodegenerativas. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a doença cardiovascular matou 17,7 milhões de pessoas em 2015; o câncer matou 8,8 milhões; e o diabetes 1,8 milhão”, alerta a dra. Anne Sant’Anna.

Alimentação
Dra. Carolina, endocrinologista: “Devemos comer comida de verdade. Quando estiver diante de um prato, responda: isto foi feito pela natureza ou pelo homem? Dê preferência para os alimentos in natura: frutas, verduras, legumes, raízes, ovos, carnes de boi, de porco, de aves e de peixes, leite, iogurte natural sem açúcar, arroz, feijão, lentilha, ervilha, grão de bico, ervas frescas e secas, cogumelos e castanhas. A principal recomendação é manter a variedade na dieta, garantindo todos os nutrientes essenciais. 

Evite alimentos industrializados (ultraprocessados), com gordura vegetal hidrogenada (gordura trans), xarope de frutose (açúcar), espessantes, emulsificantes, corantes, aromatizantes, nitrato, nitrito, realçadores de sabor, e vários outros aditivos viciantes. 

A regra é simples: leia a lista de ingredientes. Se houver nomes que não são de comida, não compre! Outra dica: a ordem dos ingredientes mostra sua proporção. Se o açúcar vem em primeiro lugar, isso significa que ele é o de maior quantidade naquele produto.”

Dra. Anne Sant'Anna, clínica geral e geriatra: “Alimentação saudável é fundamental em qualquer idade. No idoso vai mais adiante, pois fatores inerentes ao envelhecimento como, diminuição do olfato e paladar, ausência de dentes e dificuldade no preparo de alimentos podem contribuir para uma má alimentação. O consumo de cálcio e vitamina D é importante para evitar perda óssea. É importante também evitar gorduras e sal, pois aumentam os riscos de doenças cardiovasculares, pressão alta, entre outras. É fundamental uma alimentação rica em frutas, legumes e verduras, pois ela fornecerá fibras e vitaminas.

Beber água é fundamental para um bom funcionamento e equilíbrio do corpo, para que se mantenha um balanço entre o que é ingerido e o que é perdido, como nas fezes, urina e transpiração. O idoso não deve esperar ter sede para beber água, pois com o envelhecimento o reflexo da sede fica diminuído.”

Dr. Marcio Carvalho, clínico geral: “Alimente-se com qualidade e regularidade. Preserve o seu café da manhã. Controle o seu peso. Limite a ingestão de sódio para 4g de sal ao dia. Há correlação marcante entre o consumo de concentrações elevadas de sódio e o desenvolvimento de cardiopatias.

Atividade física
Dra. Carolina Cunha: “O exercício regular é capaz de prevenir demência, diabetes tipo 2, vários tipos de câncer, depressão, doenças cardíacas, osteoporose e outras condições graves comuns - reduzindo o risco em pelo menos 30%, melhor do que muitas medicações. Não serve apenas para ter uma aparência esbelta e um coração forte; talvez seu efeito mais poderoso seja no funcionamento saudável do cérebro.

O que vai torná-lo mais inteligente e menos sujeito a doenças cerebrais: resolver um quebra-cabeças complexo? Caminhar? Estudo científico demonstrou que indivíduos idosos que se exercitaram regularmente por 24 semanas apresentaram uma melhora de 18 vezes na memória, capacidade linguística, atenção e outras funções cognitivas, quando comparados a um grupo controle que não se exercitou regularmente.”

Dr. Marcio Carvalho: “A recomendação mundial é de praticar 150 minutos de atividade aeróbica moderada ou 75 minutos de atividade aeróbica vigorosa por semana. Adicionalmente, também duas vezes por semana, faça musculação com 12-15 repetições por exercício. Quanto maior a idade, maior o benefício das atividades. Exercícios de flexibilidade também estão recomendados.”

Dra. Anne Sant'Anna: “Realize sempre exercícios físicos! Com a idade perdemos massa e força muscular. Dessa forma, nos sentimos mais inseguros para andar, começamos a nos restringir mais e vamos perdendo nossa independência. Além disso, essa imobilidade pode trazer outras consequências, como a piora de doenças do coração, dificuldade no controle do diabetes, aumento do risco de osteoporose e aumento do risco de quedas. Há também os benefícios mentais, atividade física ajuda no tratamento e prevenção de depressão e até mesmo de Doença de Alzheimer.”

Fumo
Dr. Marcio Carvalho: “Não fume. O número de tabagistas no Brasil diminuiu mais de 40% nos últimos 12 anos. Há tratamentos medicamentosos disponíveis para auxiliar os pacientes na eliminação da dependência de nicotina. Além de estar associado a inúmeras doenças, o tabagismo acelera o processo envelhecimento.”

Dra. Carolina Cunha: “Estudos comprovam que o cigarro é tóxico para o DNA. Cerca de 4 mil substâncias são inaladas quando o indivíduo fuma e 70 delas são comprovadamente cancerígenas, incluindo benzeno, arsênico e formaldeído. O fumo passivo também é prejudicial à saúde.”

Dra. Anne Sant'Annaa: “O cigarro aumenta o risco de doenças graves de coração e pulmão, como o câncer. Essas doenças podem ser fatais, mas podem também ser muito debilitantes e impedir nossa autonomia. O risco de trombose também é maior em pessoas com o hábito de fumar.”
 
Álcool
Dra. Carolina Cunha: “O uso abusivo de bebida alcoólica aumenta o risco de doenças cardíacas, derrame (AVC hemorrágico), câncer de esôfago e de fígado. O álcool é tóxico para o cérebro e a ingestão excessiva aumenta o risco de demência. Portanto, bebidas alcoólicas devem ser consumidas em pequenas quantidades.” 

Dr. Marcio Carvalho: “Beba água e limite o consumo de álcool. As bebidas alcoólicas são aceitas socialmente, mas são caracterizadas como drogas lícitas. Em doses elevadas causam doenças em todos os sistemas orgânicos. Mulheres têm bebido cada vez mais. O metabolismo do álcool é consideravelmente mais lento no sexo feminino.”

Tópicos relacionados

saude Medicina de Família

Você também pode se interessar por:

01 de October de 2018

Outubro Rosa: apoie a causa e previna o câncer de mama

Esclareça suas dúvidas com a equipe de saúde da FAPES e realize exames com frequência

Ler notícia

06 de September de 2018

Saúde foca em melhores resultados para o paciente

Em entrevista, a nova Gerente Executiva de Saúde da FAPES fala das estratégias para tornar o PAS ainda melhor

Ler notícia

05 de September de 2018

Projeto para Saúde mantém qualidade com custo menor

Mudanças administrativas reduzem custos, ampliam automação e mantém padrão de qualidade

Ler notícia

02 de August de 2018

Saúde: o desafio de fazer mais com menos

Artigo da Diretoria da FAPES publicado no Vínculo nº 1308, de 02/08/2018

Ler notícia
ver todas as notícias